Função Social: o que é e por que ela é tão importante para uma empresa?

Função Social: o que é e por que ela é tão importante para uma empresa?

Para que uma empresa abra as suas atividades é preciso que ela desempenhe também o seu papel dentro da sociedade […]

Para que uma empresa abra as suas atividades é preciso que ela desempenhe também o seu papel dentro da sociedade e que os seus administradores tomem decisões tendo como base o bem comum. Como é sabido, o foco de qualquer empreendimento é crescer financeiramente, fato que não deve ser deixado de lado, mas que deve ser entendido como uma consequência e não como o cerne da atividade desempenhada.

Podemos estabelecer então que a função social da empresa é o conjunto de ações desempenhadas pela empresa, tendo como intuito a melhoria social. Ela ocorre quando se obedece a regras ambientais, se respeita os direitos trabalhistas e do consumidor, não se pratica ato de concorrência desleal, entre outros pontos.

O sucesso financeiro de uma instituição só pode ser compreendido no caso de ela cumprir o seu papel de geradora de empregos, impactando diretamente na vida dos indivíduos que compõem a sociedade e possibilitando que exista uma inclusão social e econômica. Dessa forma, uma empresa que leva em consideração esse preceito, valoriza-se no cenário onde se insere ao possibilitar empregos e fomentar o mercado.   

Muitos se enganam ao julgarem que ações isoladas e realizadas esporadicamente – apenas com o propósito direcionado à publicidade – bastam para cumprir com as obrigações sociais da empresa. As funções sociais só se cumprirão se os produtos oferecidos estiverem diretamente ligados aos reais interesses da comunidade, fazendo referência à distribuição e à circulação monetária.

É fundamental que os empreendimentos concebam a ideia de que o êxito empresarial não depende somente do desempenho do seu corpo de trabalhadores. Os consumidores comuns exercem um papel crucial nesse sucesso, pois são eles que mantêm as atividades acontecendo, já que elas dependem fundamentalmente da venda de produtos e serviços aos membros da sociedade.

Assim, compreende-se que o lucro real só se é obtido como resultado das ações em prol do princípio coletivo. Empresas que se preocupam com medidas socioambientais e que promovem melhorias à comunidade são mais bem quistas pelos consumidores. O inverso também é notório: quanto menor a participação ativa de uma empresa na sociedade, pior a avaliação dela por parte dos seus potenciais clientes.

O vínculo entre as entidades é muito forte e estreito, sendo consolidado pela atuação legal e focada na qualidade de vida e no bem-estar geral. Por isso, a credibilidade adquirida se torna um diferencial elevado e valorizado.

É obrigação do Estado a fiscalização e a cobrança de tal posicionamento por parte das empresas.  Vale lembrar que o Princípio da Função Social está inserido na Constituição Federativa do Brasil, além de ser previsto pelo ordenamento legal e se fazer presente ainda no Código Civil Brasileiro.